Sábado, 28 de Novembro de 2015

Ramón Gomez de la SernaOutro desafio de Ramón ao seu tempo foi ele ter sido o escritor menos angustiado da literatura. Em todas as suas páginas sobrevém um optimismo cósmico. E nessas páginas tão exaltadamente vitais, tão percorridas por um sangue mais espesso e célere que o dos touros, não há nenhum sentimento mórbido nem sombrio. Não há nele solidão angustiada; pelo contrário, sente-se entranhado em todas as criaturas, estendendo-se a todas as coisas a genialidade panteística da sua criação.

 

Por José Camón Aznar in O médico inverosímil, Antígona, página 245.

 

*

 

E foi um otimista (e um  "bon vivant" e um "poseur") ao arrepio de todo o trágico peninsular, não apenas porque o otimismo era um tique de época, mas por uma razão mais pessoal e mais funda, que se prende com a relação especial que mantinha com o quotidiano e a realidade concreta.

 

No fundo, esse "boémio que levou a sua liberdade até à literatura" não se integrou em nenhum ismo, limitando-se a fazer... ramonismo.

 

Por Rui Caeiro in Seios, & etc, página 7 e 9.


Índice:

publicado por Paulo Moreira Lopes às 09:03
Domingo, 22 de Novembro de 2015

Tafona era um homem com oitenta e cinco anos. Sempre que podia ia caçar. Preferia o monte ao convívio com as pessoas. A mulher, Catarina, habituou-se à maneira de ser do marido e lá lhe ia contando o que se passava na aldeia. Só que ele não se interessava nada pelas novidades. Via o mundo assim de uma maneira inocente. Não admira, por isso, que no dia em que se apercebeu que alguém andava no monte a perseguir um casal de namorados lhe apontasse a arma ao peito e lhe dissesse:

- Alto, e nem tugir nem mugir! Aquelas coisas querem-se na paz do Senhor…

 

Sinopse do conto de Miguel Torga O caçador, publicado in Novos Contos da Montanha, 10.ª edição de autor, Coimbra 1981, páginas 53 a 63.

 

Vila Nova de Gaia, 22 de novembro de 2015.



publicado por Paulo Moreira Lopes às 13:35
Sábado, 21 de Novembro de 2015

passeio do MUPI

O que é isto?

Um passeio para os peões ou para o MUPI?

Não é crível que a implantação do MUPI em frente à passadeira, dificultando a normal circulação de peões e impedindo, em absoluto, a movimentação de pessoas com mobilidade reduzida (não há espaço para a cadeira de rodas) tenha sido precedida de parecer técnico favorável ao uso privativo do domínio público municipal por parte da concessionária.

Há que rever com urgência a situação.

Com conhecimento, neste mesmo dia, à C. M. de Gaia via email: geral@cm-gaia.pt

 

Vila Nova de Gaia, 21 de novembro de 2015.

*

Irregularidade eliminada em maio de 2016. Ver aqui.

 



publicado por Paulo Moreira Lopes às 13:16
Quarta-feira, 18 de Novembro de 2015

Atravessadouro: tribunal Ponte Lima

Nem a presença do tribunal inibiu os transeuntos de criarem um atravessadouro por tão pouco desvio.

 

Tribunal judicial de Ponte de Lima, 22 de outubro de 2015.



publicado por Paulo Moreira Lopes às 22:31
Quinta-feira, 12 de Novembro de 2015

Quando passa todas exclamam (as ervas):

- Foice!

 

*

 

Confrontar trocadilho do título de Pedro Ivo Carvalho: O Governo foice.

 


Índice:

publicado por Paulo Moreira Lopes às 23:21
Domingo, 08 de Novembro de 2015

fósforo  Chema Madoz

 

- Pai, o after shave arde?

 

Deixei-o experimentar. Não ardeu. É porque não tinha nada para curar.

 

Vila Nova de Gaia, 7 de novembro de 2015.



publicado por Paulo Moreira Lopes às 09:42
Domingo, 08 de Novembro de 2015

Dá-me gozo quando o tempo engana os meteorologistas. É a vitória da poesia sobre a meteorologia.

 

Por Nuno da Costa Santos

 

*

Meteorologia: mentirologia.

 

Por Ramón Gómez de la Serna publicado in Greguerías, uma seleção e tradução de Jorge Silva Melo, Assírio & Alvim, 1998, página 108.

 


Índice:

publicado por Paulo Moreira Lopes às 00:45
Quinta-feira, 05 de Novembro de 2015

demolições D. João I

Ao vivo o efeito é mais intenso.

 

Rua do Bonjardim, 5 de novembro de 2015.


Índice:

publicado por Paulo Moreira Lopes às 23:35
Quinta-feira, 05 de Novembro de 2015

O tempo muito gosta de brincar com a cadeira de plástico que temos no terraço.

 

Vila Nova de Gaia, 4 de novembro de 2015.


Índice:

publicado por Paulo Moreira Lopes às 07:37
Terça-feira, 03 de Novembro de 2015

 

MEMÓRIA descritiva: ZERO: sai o Z, o E e o R e fica só o O; DOIS: sai o D, o O e o I, sendo que o S inverte-se (roda para a esquerda); TRÊS: sai o T, o R e o S, ficando o E sem acento que se inverte (roda para a esquerda); SETE: sai o S e os EE, desaparecendo o braço direito do T; OITO: sai o I e o T, passando o segundo O para cima do primeiro.



publicado por Paulo Moreira Lopes às 19:38
São factos do quotidiano, aparentemente sem qualquer importância, aos quais o autor dá a relevância do absoluto, do todo. É a sua obra-prima, sem prejuízo de outro entendimento.
mais sobre mim
Novembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
19
20

23
24
25
26
27

29
30


Histórias mal contadas (Pré-publicação)
pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO
Visitantes