Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Histórias mal contadas

São factos do quotidiano, aparentemente sem qualquer importância, aos quais o autor dá a relevância do absoluto, do todo. É a sua obra-prima, sem prejuízo de outro entendimento.

Histórias mal contadas

São factos do quotidiano, aparentemente sem qualquer importância, aos quais o autor dá a relevância do absoluto, do todo. É a sua obra-prima, sem prejuízo de outro entendimento.

02.Jul.12

Sigo

Sigo

a sugar o horizonte azul.

Vou imóvel

no ar preso.

 

Esqueço-me de existir,

e acordo a sonhar comigo.

 

Eu que não tinha vontade

de acordar.

 

 

-----

 

Esta imagem (será um clique?), expressa agora em verso, foi surpreendida por mim ou surpreendeu-me quando viajava na VCI/A20, mais precisamente entre a passagem do Nó de Francos e o início do Hospital da Prelada, no sentido Arrábida-Freixo, a ultrapassar outros veículos, pela terceira fila, e muito concentrado a contornar a curva. Aquela curva foi, assim, um lugar inspirador.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.