Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Histórias mal contadas

São factos do quotidiano, aparentemente sem qualquer importância, aos quais o autor dá a relevância do absoluto, do todo. É a sua obra-prima, sem prejuízo de outro entendimento.

Histórias mal contadas

São factos do quotidiano, aparentemente sem qualquer importância, aos quais o autor dá a relevância do absoluto, do todo. É a sua obra-prima, sem prejuízo de outro entendimento.

01.Set.12

O lixo

De entre as tarefas domésticas que me estão atribuídas em casa, aquela que me dá mais prazer é a de levar os sacos do lixo ao contentor que temos na casa do lixo.

 

Por um lado, sinto-me satisfeito por contribuir na lida doméstica, por pouco que seja. Por outro, vejo a lavandaria arrumada e limpa.

 

É muito importante deitar fora o que não interessa, o que é inútil para nós. Coisas que deixaram de fazer sentido na nossa casa e que passarão a ter sentido noutro lugar.

 

Em boa verdade não deitamos fora as coisas. Mudamos as coisas de lugar. Pomos as coisas fora da nossa casa.

 

É como arquivar processos. Deixam de estar no raio da nossa ação. Em rigor: desaparecem da nossa vista.

 

A lixeira e o arquivo são, por isso, um lugar como outro qualquer. São lugares de transição. Quem sabe se aqueles não serão os melhores lugares para a coisa ou se não serão uma passagem para um lugar ainda melhor?

 

Tal como as coisas, nós nunca sabemos qual o melhor momento ou o lugar ideal das nossas vidas.

 

Vila Nova de Gaia, 26 de agosto de 2012.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.