Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Histórias mal contadas

São factos do quotidiano, aparentemente sem qualquer importância, aos quais o autor dá a relevância do absoluto, do todo. É a sua obra-prima, sem prejuízo de outro entendimento.

Histórias mal contadas

São factos do quotidiano, aparentemente sem qualquer importância, aos quais o autor dá a relevância do absoluto, do todo. É a sua obra-prima, sem prejuízo de outro entendimento.

01.Jan.15

O tempo do passeio

Chema Madoz (prenda de cubo de gelo)- Pai, não podemos passear mais um bocado? É que o dinheiro que demos ao arrumador ainda dá para mais tempo.

 

A noite estava fria e a volta até tinha sido longa. Portanto, era altura do regresso. Ao entrar no carro perguntei ao arrumador se o dinheiro que tinha dado chegava para o tempo do estacionamento, ao que me respondeu que sim, mas se eu quisesse dar mais agradecia. Não dei mais porque a noite estava muito fria.

 

Rua das Carmelitas, Porto, 1 de janeiro de 2015.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.